Primeiro satélite 100% português estará em órbita até 2020

O primeiro satélite totalmente construído e desenvolvido em Portugal, o “Infante”, vai ser apresentado e assinado esta quinta-feira, em Oeiras, no encontro AED Days 2017, devendo ser lançado até final de 2020.

O evento que se realiza no Tagus Park, em Oeiras, é uma iniciativa do AED Cluster, o cluster português para as indústrias Aeronáutica, do Espaço e da Defesa, sendo que Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ) será o responsável por “toda a área de testes a peças e produto final”, refere ISQ em comunicado.

Trata-se da construção de um satélite de nova geração que envolve um investimento de mais de nove milhões de euros para três anos, sendo que o “Projeto Infante” já foi aprovado pela Agência Nacional de Inovação (ANI) para ser cofinanciado pelos fundos estruturais da União Europeia.

O projeto é uma iniciativa de várias empresas e entidades portuguesas e é cofinanciado por fundos comunitários, sendo que este satélite será o precursor de outros satélites a lançar até 2025 para observação da Terra e comunicações com foco em aplicações marítimas.

Segundo o presidente do ISQ, Pedro Matias, o Satélite “Infante” “que, segundo os coordenadores do consórcio é expectável que seja lançado até final de 2020, é o primeiro satélite português totalmente desenvolvido e construído no país”.

E prosseguiu, citado em comunicado: “É uma área que conheço bem, pois já há alguns anos tinha acompanhado o processo do PoSAT (1993), do professor Carvalho Rodrigues do então INETI (Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação), que embora construído por empresas e laboratórios portugueses, era essencialmente um projeto de transferência de tecnologia”.

by Jornal de Noticias 19 October 2017

Primeiro satélite 100% português estará em órbita até fim…

Consórcio tem nove empresas e o investimento é de nove milhões de euros para três anos.
O primeiro satélite totalmente construído e desenvolvido em Portugal, o Infante, deverá ser lançado até final de 2020. Apresentado esta quinta-feira no encontro AED Days 2017, em Oeiras, o projecto do microssatélite é uma iniciativa do cluster português para as indústrias Aeronáutica, do Espaço e da Defesa (AED Cluster) e o grupo ISQ será o responsável por “toda a área de testes a peças e produto final”, refere o Instituto de Soldadura e Qualidade (ISQ) em comunicado.

Trata-se da construção de um satélite de nova geração que envolve um investimento de mais de nove milhões de euros para três anos, sendo que o projecto Infante já foi aprovado pela Agência Nacional de Inovação (ANI) para ser co-financiado pelos fundos estruturais da União Europeia.

O projecto é uma iniciativa de várias empresas e entidades portuguesas e é co-financiado por fundos comunitários, sendo que este satélite será o precursor de outros satélites a lançar até 2025 para observação da Terra e comunicações com foco em aplicações marítimas. É expectável que o Infante seja lançado até final de 2020, segundo os coordenadores do consórcio.

“É o primeiro satélite português totalmente desenvolvido e construído no país”, refere o presidente do ISQ, Pedro Matias E prosseguiu, citado em comunicado: “É uma área que conheço bem, pois já há alguns anos tinha acompanhado o processo do PoSAT (1993), do professor Carvalho Rodrigues do então INETI (Instituto Nacional de Engenharia, Tecnologia e Inovação), que embora construído por empresas e laboratórios portugueses, era essencialmente um projecto de transferência de tecnologia.”

by Publico.pt 19 October 2017